A KARAJAZ JSA (Joias Sustentáveis da Amazônia) é uma Empresa de Base Tecnológica e de Impacto Social fabricante de produtos inovadores de joalheria sustentável folheados a ouro 18K que são produzidos em série através de tecnologias modernas da indústria joalheira contemporânea e com matérias-primas locais oriundas dos diferentes municípios amazônicos. A KARAJAZ tem como MISSÃO contribuir de Modo Sustentável com a Verticalização Industrial de Produtos e Processos de de fabricação de joias na Amazônia; como VISÃO se tornar a primeira fábrica de joias folheadas a ouro 18K na Amazônia, usando matérias-primas locais e contribuindo de modo sistemático com o desenvolvimento sócio-economômico desta região e como VALORES tem a Sustentabilidade, a Pesquisa Científica, o Uso de Tecnologias e Inovações bem como a Troca de expertises das novas especialidades da joalheria tais como; Modelagem 3D, Prototipagem Rápida e Fundição em Cera Perdida.


A KARAJAZ é uma empresa que se apresenta através de um modelo de negócios único que permite parcerias com entidades públicas e privadas,  troca de expertises com cooperativas de gemas,ouro,madeira, semente, couro etc, existentes na Amazônia e que atuam em conformidades com as leis ambientais e de mineração e que tenham interesse em nos fornecer estas matérias-primas, bem como comercializar nossos produtos.

                                                     

                                                                     Joias com Inlays de Madeira produzidas em parceria com o Polo Moveleiro de Parauapebas (Link)

A KARAJAZ estrategicamente tem sua área de Pesquisa e Desenvolvimento de seus Produtos de joalheria  localizada no prédio da UNIVERSITEC - Agência de Inovação e Tecnologia da UFPA-Universidade Federal do Pará,  onde é possível através de parcerias a interação com os laboratórios das diferentes unidades desta universidade e assim chegar a produtos de melhor acabamento, melhor qualidade física da peças, e também de melhores tomadas de decisões. Ainda na Universitec a KARAJAZ faz parte do PIEBT - Programa de incubação de empresas de base tecnológica desta instituição, onde foi selecionada através de edital para receber suportes e consultorias em diversas áreas do empreendedorismo tais como; Gestão de finanças, pessoal, estoque, marketing, apresentação (pitch) para investidores anjos do Brasil inteiro, gestão das inovações propostas e até mesmo apoio direto sobre os registros de propriedade intelectual dos produtos desenvolvidos pela marca. Mais informações sobre esta parceria nos links abaixo. 

http://universitec.ufpa.br/karajaz-jsa-empresa-incubada-na-ufpa-desenvolve-joias-folheada-a-ouro-18k-com-elementos-da-cultura-e-da-biodiversidade-amazonica/

https://portal.ufpa.br/index.php/ultimas-noticias2/9069-empresa-incubada-na-ufpa-desenvolve-joias-folheadas-a-ouro-18k-com-elementos-da-cultura-e-da-biodiversidade-amazonica

A KARAJAZ atua em todo o processo produtivo, desde a pesquisa geológica e exploração da gema até a fabricação e escoamento do produto finalizado, isto é a joia. Nosso time é formado em sua maioria por profissionais geólogos, gemólogos e especialistas em produção industrial de joias, designers (modelistas 3D) e prototipadores de produtos de joalheria, sendo este dois últimos treinados pela própria empresa. 




O nome KARAJAZ deriva do acrônimo KARAT (Quilate em Inglês) + o prefíxo JAZ da palavra geológica JAZIDA e faz homenagem a uma das tribos mais expressivas do norte do país e a uma das regiões de importantes mineralizações do Brasil respectivamente a Tribo dos Carajás e a Região de Carajás no Estado do Pará e tem em sua logomarca principal um cocar indígena estilizado.


Fundada pelo Mestre em Geologia e Gemólogo (Especialista em Joias e Pedras e Metais Preciosos) e atual CEO da KARAJAZ Sr. MAURICIO FAVACHO que ficou conhecido no ramo joalheiro brasileiro por contribuir com a TECNOLOGIA DE IRRADIAÇÃO GAMA APLICADA NA COLORAÇÃO DE PEDRAS PRECIOSAS (link) e que juntamente com outros especialistas no assunto como a Ex - Diretora da Empresa Embrarad Sra Ângela Lucena, o Professor Fernando Lameiras do CDTN-Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear que em épocas passadas ressaltaram com veemência a importância desta tecnologia para o Setor Joalheiro Brasileiro através de palestras, papers científicos, concursos de joias com gemas irradiadas, mesas redondas, participações em feiras de gemas e joias no Brasil e Exterior. Dentre as gemas irradiadas maiores destaque para o mineral quartzo, que existe em abundância nos municípios amazônicos e responde com diferentes cores ao processo. A partir daí determinadas variedades de "Quartzos Irradiados" conhecidos hoje pelos nomes de Green Gold, Prasiolita Verde (Mint Quartz, Ametista Verde), Citrinos "Conhaque", Quartzo Black, Lemon, Rose D' France, Ametista Lavanda tomaram o mercado mundial, todas produzidas pelo referido processo a partir do quartzo natural completamente incolor (hialino). Até os dias atuais esta tecnologia continua beneficiando comunidades inteiras de comerciantes de gemas e de fabricantes de joias do Brasil inteiro que usam o quartzo e outras gemas irradiadas para compor suas joias.

      

         

COMO NASCEU A KARAJAZ JSA (Joias Sustentáveis da Amazônia) ?

Favacho comenta que o ato de ajudar a transformar pedras preciosas de baixo valor comercial através da tecnologia de irradiação, obtendo um produto que outrora era considerado rejeito e  agora é de alto valor agregado o fez perceber o quão importante é a presença de tecnologias no desenvolvimento sustentável de Arranjos Produtivos Locais de Gemas e Joias do Brasil. Embora poucos saibam na Amazônia da importância e dos pormenores desta tecnologia,  ela vem mudando a vida de alguns comerciantes de gemas conhecidos como "pedristas" e garimpeiros que extraiam tais materiais e que agora podem comercializá-los por um preço melhor no mercado joalheiro e também a de vários joalheiros brasileiros que agora têm pedras em largas quantidades, de valor razoável para manter suas coleções.

" Me sinto realizado como pesquisador e como ser humano em ter contribuido de maneira grandiosa com o desenvolvimento destes novos produtos gemológicos chamados de "gemas irradiadas" e de sua colocação no mercado, hoje ver gemas como o green gold e a prasiolita no mercado joalheiro nacional e internacional é extremamente grantificante, porém o que me deixa mais feliz é ter contribuido sistematicamente com o Desenvolvimento Sustentável  de Arranjos Produtivos Brasileiros de Gemas e Joias que exploram quartzos hialinos para serem coloridos com tal processo. São lapidários, garimpeiros, comerciantes de gemas e joalheiros que se beneficiam sistematicamente desta tecnologia até os dias atuais, porém minha missão neste momento é contribuir com meu conhecimento técnico, científico e mercadológico em gemas e joias para o desenvolvimento da Cadeia Produtiva de Gemas, Joias e Metais Preciosos da nossa AMAZÔNIA em particular o do Estado do Pará, onde está localizada a KARAJAZ. Há muito trabalho a ser feito para que este desenvolvimento ocorra em conformidade com as leis ambientais, de mineração e de preservação da grande floresta tropical e traga de fato algum benefício paupável para esta cadeia produtiva".  

                                                                                                                                            MAURICIO FAVACHO


FAVACHO comenta que poucos são os benefícios palpáveis deixados nas diversas comunidades amazônicas que produzem ouro, pedras preciosas, quartzos e topázios susceptíveis a irradiação e outras matérias-primas frequentemente utilizadas na fabricação de joias e que estas comunidades atuam há décadas apenas no início desta cadeia produtiva vendendo estas matérias-primas por preços baixos, ainda em estado bruto e sem qualquer possibilidade de chegar em seus produtos finais com excelência, isto é, a joia e/ou a gema lapidada, e acredita que seus conhecimentos em geologia, gemologia e modelagem 3D de joias podem contribuir de maneira grandiosa e sistemática com a Verticalização Industrial da Cadeia Produtiva de Gemas, Joias e Metais Preciosos na Amazônia e um dos motivos da fundação da KARAJAZ JSA. 

                                 


Favacho também comenta que o ato de ajudar a transformar pedras preciosas de baixo valor comercial através da tecnologia de irradiação, obtendo um produto que outrora era considerado rejeito e  agora é de alto valor agregado o fez perceber o quão importante é a presença de tecnologias também no desenvolvimento sustentável de joias. A Tecnologia de Irradiação de Gemas mudou a vida de alguns comerciantes de gemas conhecidos como "pedristas" e garimpeiros que extraiam tais materiais e que agora podem comercializá-los por um preço melhor no mercado joalheiro e também a de vários joalheiros brasileiros que agora têm pedras em largas quantidades, de valor razoável para manter suas coleções, foi sem dúvida um um ato de sustentabilidade incorporada que beneficiou a todos sem distinção e que também "pesou" bastante na fundação da empresa. 

FAVACHO conta que os designs da KARAJAZ também tem uma abordagem diferente aos de uma joalheira convencional. Os designs da KARAJAZ são voltados principalmente para a sustentabilidade, eles são criados pensando no ser humano e na sua relação pacífica com o meio ambiente, em como escoar determinada matéria-primas de uma localidades através de joias de maneira inteligente, sustentável e lucrativa, foi com este sentimento de ajuda ao próximo, e sabendo da importância do uso de tecnologias que nasceu a KARAJAZ JSA (Joias Sustentáveis da Amazônia), uma empresa voltada a desenvolver produtos de joalherias inovadores em parcerias com cooperativas e entidades governamentais locais estaduais e municipais, usando tecnologias modernas e fabricando joias com matérias-primas de diferentes localidades da Amazônia, uma região que conhece somente o modelo artesanal de fabricação de joias e de lapidação de gemas e que desconhece quase que totalmente o modelo industrial de suas produções e que certamente precisa Verticalizar Produtos e Processos de Joalheria se quiser dar maiores saltos comerciais e participar ativamente das estatísticas de exportação de produtos de joalheria dos Estados Brasileiros e  gerar emprego e renda mais consistentes para esta região através desta cadeia produtiva.

                                 Imagem relacionada

Brinco com detalhes de metal folheado a ouro 18K e com escama de Pirarucú ( maior peixe de água doce do mundo) em destaque. A empresa prevê parcerias com Cooperativas existentes na Amazônia que criam Pirarucú em cativeiro.

FAVACHO conta que escolheu a Amazônia para seu novo desafio porque é uma região perfeita para criar novos produtos de joalheria sustentável, a região possui diversidades em minérios, metais preciosos, gemas, culturas indígenas, símbolos sagrados e religiosos, matérias-primas orgânicas como madeiras nobres e sementes e outros elementos da natureza amazônica que podem ser traduzidos nas mais belas joias e ressalta, "Nosso objetivo é desenvolver produtos de joalheria em conformidades com as leis ambientais e de mineração e que de fato ajudem a mudar a vida das pessoas que vivem nas localidades e capitais amazônicas portanto resolvemos apostar no desenvolvimento de JOIAS SUSTENTÁVEIS (link), um novo conceito em joalheria que alia conhecimento técnico, uso de inovações e tecnologias e de matérias primas locais em benefício de uma comunidade ou região"

         

 Os designs da KARAJAZ são os mais variados, podem conter Iconografias Amazônicas de tribos milenares que habitaram a Amazônia, bem como Madeiras de procedência Legal.